domingo, 17 de abril de 2011

As time goes by

Faz quase três anos que isso me persegue. E parece tão recente. Às vezes me esqueço que, há quase três anos, estou presa. Às vezes esqueço que tenho a maldita chave da saída, mas não quero abrir. Eu não quero abrir... Eu engoli a porra da chave! Engoli a porra da chave e isso eu não quero vomitar. Por que é que eu não quero sair? Mesmo quando estou sorridente, saudável, mesmo quando não me importo em ser essa porca gorda, mesmo quando estou apavorada: eu não quero sair. E vejo novas pessoas, sinto novos cheiros, toco novas coisas, visito novos lugares, experimento novas roupas, ouço novos sons, faço novas coisas. Novidades... Mas continuo sentindo o cheiro de doença. O frio tem o cheiro e o gosto de doença. Tudo tem o cheiro e o gosto de doença. E às vezes, só às vezes, eu me esqueço que tenho a maldita chave da saída. Não é por mal, eu apenas esqueço. Mas eu já não quero mais esquecer.




It's still the same old story
A fight for love and glory, a case of do or die.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Lo importante es que la música suene más fuerte que los problemas."
Obrigada pela visita.