quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

13 de janeiro

São 5h38 e eu estou aqui. Mais uma noite virada, pensando em como havia jurado a mim mesma que isso não aconteceria de novo. Reultado de um término feio depois de 10 meses de namoro: um coração esmigalhado, tentativas frustradas de suicídio (não, a culpa não foi dela; ela era o menor dos motivos, acredite você ou não) e uma promessa - nunca mais me apaixonaria assim tão fácil. Foram 6 meses de confusão. Devo ter me "apaixonado" por uma centena de garotas invisíveis que nem mesmo lembro o nome. "Não sei, ela mexe comigo", falei algumas várias vezes. Meus amigos já não aguentavam mais. Nem eu. Nunca foi verdade. Sim, cheguei a acreditar que era "ela" quem me salvaria, desesperada para cobrir um buraco que eu dizia não mais existir (e como ele existia). Mas "ela" nunca foi real. E, então, ELA apareceu. ELA. Com todas as letras maiúsculas e dignas de negrito. Do alto de seus 1,73m. Palhaça, louca por Reação em Cadeia, "atora". ELA. Que virou meu mundo de cabeça pra baixo sem nem saber. Que disse que me ama sem nem me conhecer. Que faz cada molécula do meu ser vibrar. Que me tem e nem sonha. Ah, meu deus... E como ELA me tem. ELA. Que me bagunça. Que tira meu sono. Que me conhece. Que sempre me arranca sorrisos. Sempre. Que não sai de mim. ELA, de quem não posso exigir nada. Que deixo livre pra ir, vir, ficar. Que mexe com minha cabeça e me transborda. ELA. Não existe sequer uma palavra nesse mundo que seja capaz de descrever o que ELA faz comigo. Que faça você, que me lê nesse segundo, entender. ELA. É isso... ELA. Vê? ELA, ELA, ELA... Não faz sentido. Mas ELA me tem. E, pra mim, isso basta.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

02/12/2013

Marcas, lágrimas, palavras... emoções confusas, é viver ou morrer é tudo ou nada. 

No rosto um sorriso, nos pulsos as marcas, na alma buracos... quem é ela? Mulher? Menina? Mistério?

Mulher talvez... esconde seus sentimentos atrás de piadas, marcará seu sofrimento por uma postura firme e inabalável. Repete para si mesma "não cai! Não chora! Fraca. Agora não é a hora." Vive pelo sim e pelo não. 

Menina? Claro. Ainda sonha, busca a princesa em si, de um modo obscuro ainda quer ser feliz, resume seus sentimentos infantis em um objetivo de perfeição. Sua busca. Sua maldição. 

Misteriosa? Sempre, se esconde na escuridão. Passando horas e horas sem luz. E sempre volta as trevas, afinal nas cinzas ela se encontra. Se perde em si mesma buscando um sentido para seus pensamentos de morte, porém só uma resposta é encontrada, pra que continuar viva se a alma já está morta??

Anjo, demônio? Santa, profana? Um pouco de todos e no meu dia a dia perdida tenta buscar um sentido para ainda continuar viva.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013



Entende que pra se encontrar é preciso primeiro ter se perdido, menina.

O que te decepciona?

Ou você compra ou é comprado. Fico decepcionada com a falta de educação e sensibilidade de hoje em dia; fico decpcionada quando vejo/ouço coisas como "Pra que estudar se tenho o Google?"; fico decepcionada quando percebo que as pessoas se preocupam mais com o que o vizinho anda fazendo que com o que acontece dentro de casa; fico (extremamente) decepcionada por ver que as pessoas ainda não aceitam as diferenças (cor, religião, sexo, cultura, idade...); fico decepcionada por ver pessoas se matando de trabalhar, sem nunca parar pra "perder" uns minutos no banco de uma praça, sem fazer nada; fico decepcionada por ver pessoas passando fome ao lado de pessoas com relógios que valem mais que um carro; fico decepcionada por saber que existem tantos "filhos da televisão" alienados pelo mundo; fico decepcionada por perceber que hoje em dia o dinheiro ou uma opinião valem mais que uma vida. Às vezes eu penso que gostaria de ser mais uma alienada, sem consciência, que aceita tudo o que é oferecido guela abaixo... É triste ter a capacidade de perceber o quão fodida é nossa sociedade e poder fazer praticamente nada em relação a isso.

domingo, 8 de setembro de 2013

Depois do depois.

E no fim, depois do depois, só espero não parar de não te esperar mais.
Hoje estava lembrando de tudo e entendi que jamais sairás do coração, mas já saistes da minha cabeça, das minhas esperanças, do meu sorriso.
Hoje eu agradeço aos deuses e à vida por tirar você meu caminho da mesma forma que te colocou.
Hoje levanto a mão e te digo adeus. Adeus para sempre. Adeus, amor. Adeus, amigo. Adeus, amante. Adeus, peça de quebra-cabeça perdida.
Hoje não te espero.
Nem você, nem o seu amor.
Hoje decido que não voltarei a te ver, a menos que os deuses ou a vida decidam que por mim.
Hoje te quero, mas de outro ângulo, de outra direção, até o nada, até a felicidade sem suas mãos.
Hoje eu consegui. Hoje sou feliz e não é por você.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Paulista

Sonhei com você essa noite. É... de novo. Acho que, por ser o sonho mais "normal" que já tive, foi também o mais estranho. Fiquei horas sentada com você em algum lugar - não sei onde era, nem como era; me lembro apenas de encarar o céu nublado... só conversando. Acho que ando pensando demais em você. E talvez esteja ficando louca.